Google+

Esconde-me

hoje ao aproximar a concha do ouvido
engano-me em teu murmuro me chamando
na ânsia que as águas se misturem
e na alma esse sentido de pertença
a algo que por ser vasto me conforta
no frio fundo e escuro do teu ventre
esconde-me até que a vontade me pertença
ou até que a vida de novo me queira