Google+

Afegã Star


E a música se parou por decreto
E a dança se calou por vontade de deus
E a liberdade se confinou a paredes
E a imagem se tornou proscrita
E o direito a ser se fez fealdade
E ser Mulher se mostra indigno ao olhar
E ser Humano foi trocado pela cega devoção
E a uns tudo é devido e aos outros nada o é
E quando a iniquidade é regra
E se deve matar por uma qualquer bagatela



Que homens são estes
Que escondidos atrás de uma qualquer lei divina
Se fazem mais deus que Deus
Que horrorizam Lúcifer ele próprio
Na sua pequenez mais mesquinha
Na sua capacidade de magoar em nome do amor!
Quem criou esta gente, se gente é,
A transformar uma dádiva em tormento
Em macular a mãe que os gerou
Acreditando que recto é esse caminho











Tenham Vergonha
Se façam gente ou se eclipsem
Em nome de Deus
Em nosso Nome!